Outras Páginas...

Sejam bem vindos ao Reticências... "(...)

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O que estou fazendo aqui?

(Direitos de reprodução reservados à ARCO Editorial Ltda)



A cada momento ele se torna último, tão último como foi no primeiro momento que tive a ideia de ir em busca de algo além, digo mais, não é nada tão absurdo como pular de pára-quedas - o que não é problema, não é nada tão absurdo quanto querer mergulhar em um profundo mar.

Sabe hoje é tão hoje, mas parece ontem, e ainda há uma última coisa a fazer, ou melhor, muitas coisas a serem feitas!

Não sei, mas é algo que parece tão estranho pensar no quanto a vida passa rápido, no quanto os carros passam rápido, no quanto as pessoas pensam rápido, no quanto as pessoas choram rápido, no quanto as pessoas dão gargalhada rápido e assim o que eu estou fazendo aqui? Tenho muita coisa a fazer!

O pior é quando paro e penso: "O que eu fiz da minha vida?", ou "Por que sempre faço a mesma coisa, sendo que eu não gosto da rotina?", ou "Por que eu mato meu tempo me dedicando muitas vezes a algo que não apetece fazer?" e assim caminham esses questionamentos, mil outras perguntas, mil outras possíveis respostas e enfim tudo continua do mesmo jeito!

Ah! Nada como mergulhar de cabeça nas dificuldades, se espetar nos espetos dos erros, erguer as paredes com as pedras encontradas pelo caminho, lavar a tristeza com as lágrimas que foram derramadas e iluminar a vida com o brilho do sorriso...

Bom, a última coisa que tenho a fazer é sentir a essência da verdadeira da vida, mergulhar na simplicidade e marcar com um sorriso boas energias ao meu redor mesmo que isso faça efeito em uma só pessoa – irei em paz... Sei que minha missão estará cumprida, sinto que minha maior satisfação é fazer com pelo menos alguém tenha ficado feliz comigo, o mundo pode ser de todos, mas o que me faz feliz é individual e indivisível...

Nada como um sorriso sincero e palavras benditas em momentos oportunos para crescer e mudar, mesmo sabendo que a mudança na vida não é marcada por fases, nem por datas e muito menos por horas...

Sei que muitas águas hão de correr pelo rio da vida, mas o fluxo é algo que gostaria de controlar e ter em minha correnteza a força para levar água até a folha seca e a pessoa que tem sede...


4 comentários:

  1. Caraca! Há neste texto belíssimas passagens... as palavras trazem em si força e leveza lírica poucas vezes vistas pelos textos poéticos vistos e lidos por mim nos últimos tempos.

    Parabéns pela maturidade textual e, consequantemente de vida que demonstras em seus escritos.

    Fraterno Abraço

    ResponderExcluir
  2. olá Nara , passando para visitar seu blog , muito bonito , você escreve muito bem ,parabéns!

    estou te seguindo ...

    Beijos !

    ResponderExcluir
  3. Saiba então, que uma pessoa em especial, vc já está fazendo e fará muito feliz, ainda mais, por nossas vidas... caminhando e crescendo de mãos dadas,caindo e se levantando no ombro do outro... Porque é assim q me sinto ao seu lado e sempre me sentirei... Galgaremos essas "rotinas", "metodismos" o quanto precisarmos... E eu sempre estarei lá pra lhe acalmar, lhe acalentar!!

    *-*

    Te adoro, linda poeta!

    *-*

    ResponderExcluir
  4. Com tantos comentários fico sem comentários e felicíssima pelo que vcs falaram... muito grata mesmo!!!

    Dankin

    bjos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...